Paralisação dos motoristas de ônibus continua suspensa até esta terça em Goiânia


A greve dos trabalhadores do transporte coletivo deverá ser definida amanhã (terça-feira, 16). Em audiência de conciliação que terminou há pouco no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) 18ª Região, os motoristas de ônibus concordaram em esperar 24 horas antes de pararem as atividades. Presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado de Goiás (Sindittransporte), Alberto Magno diz que espera que as empresas acatem o reajuste. “Caso não sejamos atendidos, vamos parar.”

A paralisação, no entanto, não seria imediata. Magno defende que os trabalhadores se reúnam novamente para discutir i início da greve. “Não achamos justo levar o trabalhador para o seu serviço e depois não oferecer o transporte para ele ir para casa. Se tivermos que parar, certamente será a partir da madrugada de quarta-feira.” Mas o presidente do sindicato espera que a negociação seja concluída até amanhã sem a necessidade da greve. “Estamos confiantes com a sensibilidade das empresas.”

Presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de Goiânia (SET), Décio Caetano participou da audiência e disse que as empresas mantém a proposta de 5,5% de reajuste no salário e no ticket alimentação. “Vou levar a proposta apresentada de 11,08% no salário e 20% no ticket para as empresas. Entendemos o pedido dos trabalhadores, mas esse ano foi um ano atípico, em que acumulamos perdas e, infelizmente, não podemos oferecer mais que nossa proposta.”

Ânimos exaltados

A audiência de conciliação coordenada pelo vice-presidente do TRT 18ª Região, Breno Medeiros, começou às 14 horas. Pouco depois, foi cedido tempo para que os trabalhadores discutissem se aceitavam esperar até amanhã. Enquanto estavam reunidos, um carro de som deu suporte para a assembleia. A Rua Orestes Ribeiro, na esquina com a Avenida T-1, foi fechada. Um carro de polícia deu suporte para o encontro.

Alguns motoristas que defendiam o início da greve imediata pediram o microfone. Houve um princípio de tumulto, que foi contido pelos próprios participantes da assembleia. Para a reunião de amanhã, os trabalhadores esperam a participação maior de motoristas. Cerca de 120 pessoas assistiram à audiência dessa tarde. 


Fonte: O Popular

Mais notícias

Gerente de loja recebe hora extra?

Sou gerente na empresa onde trabalho e tenho notado um aumento significativo nas minhas responsabilidades, demandando mais horas de trabalho. No entanto, não houve uma

Em que podemos te ajudar?