Sindicatos do setor de telecomunicações e teleatendimento não chegam a acordo em processo de dissídio coletivo de greve

Os trabalhadores do setor de telecomunicações e atendimento em Goiás vão ter de esperar decisão do Pleno do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (TRT-18) no processo de Dissídio Coletivo de Greve proposto no ano passado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações e Teleatendimento no Estado de Goiás (Sinttel) em face do Sindicato Nacional das Empresas Prestadoras de Serviços e Instaladoras de Sistemas e Redes de TV por Assinaturas – Cabo – MMDS – DTH e Telecomunicações (Sinstal), entidade patronal. Durante a audiência de instrução realizada na quarta-feira (27), no Centro de Negociações Coletivas do TRT-18, a primeira presencial após dois anos de pandemia, as partes não chegaram a um acordo sobre os termos do reajuste referente à data base de 2021.

Desembargador Daniel Viana conduziu a audiência de instrução que foi acompanhada pelo procurador-chefe do MPT, Alpiniano Lopes

De um lado, os trabalhadores insistiram na proposta de 7,59%, já aprovada em assembleia da categoria e aceita por algumas empresas do setor. De outro, os representantes do Sinstal, solicitam o prosseguimento das negociações fora do processo de dissídio de greve sob o argumento de que não caberia nesta ação a discussão de cláusulas de natureza econômica.

Diante do impasse, o presidente do TRT, desembargador Daniel Viana Júnior, que conduziu a audiência, deverá encaminhar o processo para decisão do Tribunal Pleno, após o prazo para apresentação de razões finais ou memoriais e parecer do Ministério Público do Trabalho.

Processo: DCG-0010763-05.2021.5.18.0000

Fonte: TRT Goiás

Mais notícias

Comunicado do SECEG

Diante da constatação do Procon-GO envolvendo a cobrança do corte em separado que vem sendo praticada por determinados estabelecimentos de açougue, o Sindicato dos Trabalhadores

Em que podemos te ajudar?