Vacinação antirrábica dia 17 de setembro

 

Os proprietários de cães e gatos de Goiás deverão imunizar seus pets contra a raiva animal no dia 17 de setembro (sábado), das 8 às 17 horas, horário de funcionamento dos postos. Ao todo existem 1 milhão e 235 mil cães e gatos em todo o Estado, sendo que a meta é imunizar pelo menos 80% dessa população animal. Em Goiânia, a abertura da campanha de vacinação antirrábica será no posto de vacinação do Jardim Botânico, às 8 horas. Clique aqui e consulte a lista de postos da Capital (cerca de 400), onde a população canina e felina está estimada em 200 mil animais sendo que a meta também é imunizar 80% desse número. 

 

 

Diversas clínicas veterinárias e pet shops servirão de postos de vacinação, como informou o Conselho Regional de Medicina Veterinária de Goiás (CRMV-GO). O vice-presidente do Conselho Regional, Méd. Vet. Wanderson Alves Ferreira, alerta para a importância dessa imunização a fim de evitar a raiva humana, doença que não tem cura sendo 100% letal. É importante ressaltar que há dois anos não há vacinação no Estado, como informou Ferreira.

 

O Médico Veterinário Fabrício Augusto de Sousa, Coordenador de Zoonoses da Superintendência de Vigilância e Saúde da Secretaria Estadual de Saúde (Suvisa), disse que nos 246 municípios goianos haverá postos de vacinação, que geralmente são unidades de saúde, escolas públicas, pet shops ou casas agropecuárias que estarão devidamente sinalizadas para este fim.

 

Em 2010 houve problemas com a vacina do Laboratório Biovet, que provocou reações e mortes de vários animais no Brasil, razão pela qual o Ministério da Saúde suspendeu a compra do produto na época. Agora, os lotes adquiridos são do Laboratório Tecpar, que já foi utilizado em campanhas anteriores e nunca apresentou problemas. Os lotes adquiridos foram enviados aos municípios brasileiros em agosto.

 

O Médico Veterinário Fabrício Augusto de Sousa lembra que a prioridade da campanha, além de imunizar os cães e gatos, é proteger o homem contra a raiva humana, pois os animais são os principais transmissores da doença. O último caso de raiva animal em Goiás transmitido pela variante canina foi registrado em 2002 e o de raiva humana, também transmitido pela variante canina, foi em 2001. Os casos de raiva registrados em 2014 e 2015 foram transmitidos pela variante de morcego, que é impossível de controlar.

 

A participação da população é muito importante para evitar a disseminação dessa zoonose (doença transmitida de animais para o homem). Nenhuma outra doença infecciosa tem taxa de mortalidade tão elevada como acontece com a raiva humana, alertou Fabrício.

 

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE/2013), 44,3% dos lares brasileiros têm pelo menos um cachorro. A quantidade de cães e gatos de companhia já soma 74,3 milhões, número superior ao de crianças.

 

Mais notícias

Gerente de loja recebe hora extra?

Sou gerente na empresa onde trabalho e tenho notado um aumento significativo nas minhas responsabilidades, demandando mais horas de trabalho. No entanto, não houve uma

Em que podemos te ajudar?